Segurança Alimentar

Dia Mundial da Higiene das Mãos

Partilhar

Hoje, na data em que se comemora o Dia Mundial da Higiene das Mãos, o gabinete de Segurança Alimentar da AESintra preparou um texto alusivo ao tema por forma a alertar e a sensibilizar associados e público em geral para a importância desta matéria.

As mãos são o principal veículo de contaminação por microrganismos que, por sua vez, são responsáveis pelas toxinfeções alimentares desenvolvidas após o consumo de alimentos contaminados. Uma das formas mais frequentes de contaminação é a transmissão por contacto entre as mãos dos manipuladores e os alimentos. Por isso, uma correta higienização das mãos durante a manipulação e preparação de alimentos é fundamental para garantir a segurança alimentar e, consequentemente, diminuir o risco de ocorrência dessas doenças de origem alimentar. A higiene das mãos deve implicar a fase da lavagem e a da desinfeção. A lavagem está associada à eliminação da sujidade que se vê a olho nu, já a desinfeção assegura a eliminação dos microrganismos. Assim, existem alguns aspetos a considerar para a garantia de uma correta higiene das mãos:

  • O procedimento: a lavagem das mãos deve englobar todas as zonas (espaços entre os dedos, costas das mãos, polegares e unhas) e, também, os antebraços;
  • O tempo: deve respeitar-se o tempo de contacto recomendado pelo fabricante dos produtos utilizados para que se garanta a eficácia do processo de higiene das mãos;
  • A temperatura da água: deve ser utilizada água quente, por ser mais eficaz na remoção de gorduras e sujidade visível;
  • A frequência: não existe frequência de higiene das mãos definida, no entanto, existem momentos fundamentais em que esta deve ocorrer:

Antes de se iniciar o dia de trabalho e após cada intervalo;

Após a utilização das instalações sanitárias;

Após a manipulação de equipamentos sujos, sacos do lixo, restos de produtos alimentares, embalagens, produtos químicos ou de limpeza;

Imediatamente antes de se manipular alimentos ou cada vez que se mude de tarefa;

Antes e após a utilização de luvas;

Após se tocar em qualquer parte do corpo;

Depois de se assoar, tossir, espirrar, fumar, comer ou beber

  • O tipo de produtos utilizados: a higiene das mãos pode ocorrer através da lavagem com um sabão simples inodoro, seguido de um desinfetante à base de álcool (após a secagem), ou então pode utilizar-se um sabão antibacteriano, o qual contém agentes antisséticos que garantem a eliminação da carga microbiana durante a lavagem das mãos;
  • O modo de secagem das mãos: após a lavagem das mãos deve garantir-se que as mãos ficam completamente secas, sendo que normalmente se recomenda a utilização de papéis descartáveis para este fim.

A formação dos manipuladores é um método preventivo de garantia da eficácia da higiene das mãos. De modo a monitorizar esta eficácia, deverão ser realizadas análises microbiológicas periodicamente.

Para mais informações, dúvidas e apoio, contacte o gabinete de Segurança Alimentar da AESintra:

219 106 283 ou segurancaalimentar@aesintra.com

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *