Entrevista secretária-geral Formação

“As empresas são as pessoas”

Partilhar

Conheceram-se na sala de formação da AESintra, em 2016, e resolveram criar, em 2020, a parceria Plena_mente, vocacionada para o Coaching/Mentoring, Meditação, Mindfulness e Yoga. Mais do que áreas que estão na moda, Filomena Barros e Sandra Azevedo defendem que são “ferramentas” que ajudam as pessoas. E olham para as empresas como um desafio, porque o lado profissional condiciona (muito) o lado pessoal. A resposta surge com o novo Programa “Ser Integral” que motiva esta conversa com Olga Figueiredo.

Como é que aparece a parceria Plena_Mente?

FB: A parceria Plena_Mente deu corpo ao propósito que temos de ajudar as pessoas. Surgiu de várias iniciativas que fomos fazendo, como o Círculo de Leitura, workshops de Coaching e Mindfulness, e o programa de desenvolvimento pessoal online, o Resgatar o teu Ser.

Como se pode medir o impacto destes temas, como o coaching, mindfulness, etc, nas empresas e nos seus trabalhadores?

FB: Há uma tendência crescente nas empresas, de investimento na formação de desenvolvimento de softskils. As ferramentas do Coaching e Mentoring trabalham o autoconhecimento e as estratégias para atingir objetivos.

SA: São cada vez mais as empresas que têm adotado o Mindfulness como programa de formação. A comunidade científica é unânime em afirmar que a prática regular desta técnica meditativa provoca alterações neuronais na atenção voluntária, desenvolvendo a concentração e a capacidade de gestão de tarefas, impedindo a divagação mental. O Mindfulness também atua sobre a área cerebral associada à aprendizagem/processamento de memória, bem como em estruturas ligadas à autoconsciência, compaixão e bem-estar. O próprio facto de haver uma maior oxigenação das células, através da respiração consciente, torna-nos mais proativos e consequentemente mais criativos.

Sandra Azevedo e Filomena Barros

É por isso que surge o Programa Ser Integral? Qual é a vossa proposta para as empresas?

FB: O Programa foi desenhado para facilitar a vida às empresas e aos trabalhadores, porque pode ser em versão online, presencial ou mista. É um programa que trabalha o Grupo e cada Pessoa, com temas, dinâmicas, exercícios, vídeos motivacionais, etc. E trabalhamos o corpo e a mente para proporcionar melhorias visíveis no imediato e a longo prazo.

A vossa proposta visa uma vida mais feliz?

SA:  Sem dúvida! No Mindfulness aprendemos a reconhecer os instantes de felicidade que temos Agora. A nossa mente rumina constantemente no Passado ou anseia pelo Futuro, perdendo o foco no momento presente em que se tomam todas as decisões. Esta constante divagação entre passado e futuro causa ansiedade, acabamos por deixar-nos levar pela preocupação e por todas as emoções que lhe estão associadas: tristeza, desânimo, impaciência, etc… A prática de Mindfulness permite uma maior clareza mental, pois ao ativarmos a consciência sobre os nossos estados de espírito, vamos ganhando um controle crescente sobre as emoções, identificando-as como passageiras. Saindo do turbilhão emocional, conseguimos reconhecer e valorizar as condições positivas do momento em que estamos.

– Conheça o Programa Ser Integral na quinta-feira participativa da AESintra, no dia 13 de outubro –

FB: Confiamos no processo do autoconhecimento, porque se eu não me conhecer e não souber o que quero para a minha vida, não vou estar bem comigo nem com os outros. O que nós facilitamos, neste Programa, e em todas as nossas iniciativas, é esse processo em que cada pessoa encontra as suas perguntas e depois as suas respostas.

Como é que as empresas devem olhar para este Programa de formação?

SA: Tudo o que fazemos tem repercussão no ambiente que nos rodeia. Ao reconhecermos e libertarmos o potencial de cada um de nós, contribuímos para o crescimento coletivo. Pessoas felizes fazem empresas felizes.

FB: As empresas são as pessoas, por isso, devem olhar para este Programa como um investimento com um retorno muito válido. Esta formação muda a forma de ver a vida e, em muitos casos, muda comportamentos e atitudes.

JEL38 . JULHO/AGOSTO . 2022

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *