Editorial

Saúde para o Cidadão

Partilhar

A Comissão Europeia publicou um estudo sobre os sistemas de saúde na Europa que coloca Portugal em linha de preocupação. No que concerne ao financiamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS), a Comissão Europeia reitera as preocupações com o atraso nos pagamentos por parte dos hospitais que não conseguem estancar o acumular de dívidas. As projeções apontam para a já factual redução demográfica, muito significativa em Portugal nas próximas décadas, identificando o país como um dos que vai ter maior impacto nas despesas da Saúde decorrentes do envelhecimento da população. O Conselho de Saúde da Confederação Empresarial de Portugal, partilhando daquelas e de outras preocupações, tem vindo a chamar a atenção para a necessidade de eliminar o subfinanciamento crónico do Serviço Nacional de Saúde (SNS), adotando uma orçamentação plurianual e aprovando uma Lei de Meios, e incluí estas medidas num pacote de 30 que apresentou aos partidos políticos antes das últimas eleições. O JEL quis saber mais sobre aquele pacote elaborado no seio de um grupo de players importantes da Saúde e concebido por uma estrutura associativa patronal que representa mais de 114.000 empresas, por isso convidou Óscar Gaspar a deslocar-se à AESintra. Óscar Gaspar é vice-presidente do Conselho Geral e vogal da direção da CIP, ex-secretário de Estado da Saúde e um dos ideólogos daquele pacote de medidas. Ao JEL reafirmou a necessidade de encararmos a Saúde como um desígnio nacional (páginas centrais). Nesta edição o JEL, viajou pelo interior de alguns dos agentes da Saúde em Sintra, – DaVita – e faz um incursão ao Plano Local de Saúde de Sintra (PLS) 2018-2020, ferramenta que resulta de um esforço cooperativo entre várias entidades do concelho. O 1º PLS (2015-2017) de Sintra, resultou num diagnóstico do concelho, com a aprovação do 2º PLS prevê-se uma intervenção positiva face aos problemas diagnosticados em Saúde e em Sintra. Reflexões feitas e edição fechada, a Saúde para o Cidadão é o verdadeiro desígnio e Sintra não apresenta um panorama diferente dos grandes eixos referenciais internacionais e nacionais para as políticas de saúde.

Sónia Firmino

Diretora Jornal Economia Local (JEL)

  • 1
Artigo anterior

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *