Agricultura Freguesias

Praga de psila-africana-dos-citrinos em Sintra

Partilhar

Foi detetada a presença do inseto psila-africana-dos-citrinos (Trioza erytreae) em 9 freguesias do concelho de Sintra. Trata-se de uma praga que pode afetar gravemente plantas designadas por citrinos e que pode, ainda, ser transmissora da doença “Citrus Greening”, que inutiliza os frutos para consumo e que acaba por provocar a morte das plantas afetadas.

Todos os proprietários, usufrutuários, possuidores, detentores ou rendeiros de qualquer parcela de prédio rústico ou urbano, incluindo logradouros onde se encontrem plantas de laranjeira, limoeiro, tangerineira, limeira e toranjeira bem como, Fortunella, Poncirus e seus híbridos, Casimiroa, Clausena, Choisya, Murraya, Vepris e Zanthoxylum, afectados pela praga, ficam obrigados ao cumprimento das seguintes medidas de proteção fitossanitária:

  •  Proceder ao corte de todos os ramos com sintomas procedendo imediatamente à sua destruição no local por meio de enterramento ou fogo, devendo neste caso cumprir as determinações obrigatórias para a realização de queimadas;
  • Realizar um tratamento fitossanitário utilizando para o efeito produtos fitofarmacêuticos com ação inseticida;
  • Respeitar a proibição de movimentar qualquer vegetal ou parte de vegetal das espécies referidas – ramos, folhas, pedúnculos (exceto frutos e sementes) desse local.

Na zona demarcada está também proibida a comercialização em feiras e mercados dos vegetais referenciados, quer sejam plantas de viveiro ou partes de plantas, incluindo porta-enxertos, ou plantas envasadas.

Os profissionais de empresas de jardinagem que tenham conhecimento da presença desta praga e/ou se observem sintomas suspeitos em plantas de citrinos e demais hospedeiros fora das zonas infestadas devem contatar imediatamente a Direção Regional de Agricultura de Lisboa e Vale do Tejo para o endereço de correio eletrónico, prospeccao@draplvt.gov.pt

Para mais informações deve consultar a página eletrónica da DGAV e da DRAPLVT.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *