Freguesias SINTRA

Freguesia de Colares e UF de Sintra passam a ter recolha de biorresíduos

JEL
Partilhar

No início desta semana, seis meses depois do projeto ter arrancado em Rio de Mouro, avançou a 2ª fase da recolha seletiva de biorresíduos (resíduos alimentares) com o alargamento a localidades da Freguesia de Colares e da União de Freguesias de Sintra. Estão em causa as localidades de Almoçageme, Azenhas do Mar, Banzão, Casas Novas, Colares, Fontanelas, Galamares, Janas, Mucifal, Pinhal da Nazaré, Praia das Maçãs e Rodízio.

Este alargamento diz respeito à Operação “Sintra e os Biorresíduos”, que, em 2021, vai abranger 75 mil pessoas, num universo de 25 mil fogos habitacionais. Operação aquela levada a cabo pelos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra)  com o lema “Bio-Recursos: demasiado bons para desperdiçar!

O projeto representa um investimento de cerca de 670 mil euros e viu aprovada uma candidatura ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), no montante de 292.721,55 euros, num eixo de investimento que visa o aumento da recolha seletiva e a valorização de biorresíduos.

Para aderir, os munícipes das localidades nomeadas devem preencher formulário disponível em www.smas-sintra.pt 

ou ligar para 910 443 505.

O projeto desafia os munícipes a efetuarem a triagem dos resíduos alimentares (restos de preparação e confeção de refeições, guardanapos de papel, saquetas de chá, restos de produtos frescos não embalados, como legumes, frutas, carnes, peixe, e pão e bolos).

As famílias aderentes efetuam a deposição dos restos de alimentos em sacos verdes produzidos com 100% de plástico reciclado, que serão acondicionados num pequeno contentor castanho (de 7 litros), também distribuídos pelos SMAS de Sintra. O saco deve ser bem fechado e colocado diretamente nos contentores de indiferenciados existentes na via pública.

Os biorresíduos recolhidos serão transformados em composto orgânico ou energia, alavancando-se desta forma poupanças públicas e privadas na gestão dos resíduos urbanos, tendo igualmente em vista as metas preconizadas para o país no PERSU 2020+.

Os SMAS de Sintra procedem à recolha dos resíduos e à sua entrega na Tratolixo (empresa intermunicipal de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra). Os sacos são depois triados em unidade de tratamento mecânico que, através de sistemas óticos, efetua a separação, permitindo o seu tratamento de forma diferenciada.

 

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *