OPINIÃO Convidados

Juntos…

Helena Filipe
Partilhar

A economia é uma atividade social, onde todos os intervenientes estão posicionados em relações de interdependência, mais ou menos determinante. Nenhum ator económico pode exercer a sua atividade isoladamente. Se dúvidas houvessem, basta dirigir a atenção para os acontecimentos atuais mais relevantes e preocupantes, com sinais de alerta e preocupação ao longo das últimas semanas e em crescendo nos últimos dias de fevereiro, com efeitos dificilmente imagináveis neste mundo tão moderno, sofisticado, em constante progresso. Os efeitos que a epidemia, a tornar-se pandemia, da gripe COVID-19 lançou na economia, desenvolvem-se de forma inquietante. Estamos todos ligados. Todas as atividades económicas e os seus agentes são tocados pelos efeitos das condições que são sentidas pelos outros, ainda que se tratem de atividades muito diferentes e de localizações muito distantes. O racional resultante destas constatações aponta para a vantagem de nos associarmos em plataformas que nos permitam enfrentar as dificuldades e os riscos de forma mais consistente; não isolados. Mesmo sem os riscos colocados por acontecimentos como as pandemias, reunirmos as nossas vontades faz sentido, seja para partilhar dificuldades, seja de utilidades. A nossa Associação tem já quase oitenta anos e já assistiu a muitas crises, locais, regionais e globais. Ainda que dificilmente possa proporcionar a todos o apoio que cada um deseja e necessita, é um porto seguro para obter suporte às atividades das empresas e dos empresários. Foi com a noção destas responsabilidades que exerci o honroso cargo de presidente da direção nos últimos dois anos, aproximadamente. E é com a mesma noção que sei que será exercida pelo atual presidente. Agradeço a todos a oportunidade de servir a nossa Associação da melhor maneira que sei e sou capaz. Antes de terminar quero reforçar a ideia da importância do papel do associativismo na defesa dos empresários contra as ameaças e na partilha das vantagens. A gripe Covid-19 despoletou uma campanha mundial sem precedentes com o objetivo de proteger as pessoas e as economias. Mas convém não cairmos em comportamentos de autoproteção isolacionistas que desvalorizem o nosso papel na economia global, pois correremos o risco de nos afetar de forma ainda mais negativa. O associativismo ajuda-nos a situar-nos e atuarmos na cadeia de interdependências que é a realidade da economia. Juntos somos mais fortes e mais resistentes.•

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *