Economia Local Especial edição

Sofico – “Os clientes incentivaram-nos durante o confinamento”

Sónia Firmino
Partilhar

A Sofico, pronto-a-vestir multimarca para homem e senhora, está na Chaby Pinheiro, em Mem-Martins, há quase três décadas. O casal gerente, apesar de já ter pensado abrir mais uma loja, não o fez, porque segundo Sandra Simões, “não somos muito aventureiros” e “para que o pronto-a-vestir funcione é necessário estarmos cá”. Andámos uns meses para trás da nossa conversa e a Sandra confessou-nos que o confinamento foi duro, mas que nunca faltou trabalho.

A Sofico já trabalhava com redes sociais e estava a pensar investir num site com a ajuda de um especialista, mas a pandemia precipitou este desejo e o casal avançou sozinho, abrindo uma loja online que acabou por resultar muito bem. A Sandra sente-se especialmente grata pelos telefonemas e mensagens de clientes, a pedir determinado artigo, aliás, acha até que “algumas delas o fizeram para nos incentivar”. Perguntamos, será que esta ligação aconteceu fora do comércio local?

Já com o negócio desconfinado, a Sofico percebeu o alcance da visibilidade do novo site/loja online. Quanto às vendas online, apesar de algumas terem sido feitas fora da habitual lista de clientes, para Braga por exemplo, a maioria concentrou-se no núcleo já existente de clientes. A Sandra acha que o site tem de ser melhorado e potencializado e, neste sentido, vai apostar num especialista porque percebe que o alcance da visibilidade da Sofico tem de ser maior.

E a altura em que a pandemia chega e nos atinge a todos em formato murro no estômago, foi assim também sentida na Sofico? “Tínhamos acabado de receber a nova coleção e o negócio estava a crescer o que nos fez escolher artigos de forma confortável, não como tinha acontecido na última crise, onde obrigatoriamente fomos muito mais ponderados”. As restrições lançadas ao comércio local foram confusas e trabalhamos nos últimos meses sem saber se íamos, novamente, fechar portas. O negócio cresceu com os black days, mas longe de ser comparável à mesma época do ano passado.

A Sofico sabe que a diferença do seu serviço passa por pequenos grandes detalhes que cada vez mais destacam as virtudes do comércio local. São os enfeites cozidos à mão dos embrulhos da época, ou as máscaras oferecidas às clientes feitas pela mãe de Sandra, uma das costureiras da casa. A Sandra acabou por confessar que tudo pode mudar num ápice e que essa foi uma das lições desta pandemia, mas também acha que o comércio local vai sair reforçado e que as pessoas finalmente perceberam a variedade, qualidade e empatia que encontram em negócios como é o da Sofico.

JEL31 novembro/dezembro 2020
Sónia Firmino
Sónia Firmino

Diretora Jornal Economia Local (JEL)

  • 1

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *