Economia Local Editorial

Otimismo e esperança: procuram-se!

Partilhar
JEL36 – jan. fev. mar. 2022

Depois de cinco edições só em formato digital o primeiro JEL de 2022 retoma a impressão e vai ser distribuído por todo o concelho. Foram tempos de retração também para o JEL. Tempos para abrandar, conter custos e acompanhar o rumo de grande parte dos negócios, que passaram parte de 2021 em “banho-maria” ou a tentar sobreviver ao impacto generalizado da pandemia que ainda se faz sentir.

Mantivemos o JEL em versão digital e celebramos, mais do que nunca, o contacto informativo com o nosso tecido associativo. Por outros canais, é certo, mas não nos desvinculamos de todo o percurso que esta ferramenta faz desde 2016. Nesta edição, a primeira do ano, fomos procurar otimismo e esperança.

O JEL entendeu ser necessário passar um sinal positivo aos seus leitores, maioritariamente proprietários de pequenas e microempresas, os que mais resiliência precisaram de ter nos últimos tempos. Procurou e encontrou! Até sem grande dificuldade.

Encontrou empresários ousados e corajosos que arriscaram crescer numa conjuntura adversa; arriscaram e cresceram. A prova dessa coragem empresarial pode ler-se nas páginas centrais, com a entrevista à Padaria Saloia, negócio que abriu novas portas numa das ruas mais turísticas de Sintra e também à Biosamara, empresa jovem e em crescimento que comercializa alimentos e superalimentos de origem 100% natural, originários de diferentes partes do Mundo e provenientes de cultura biológica ou colhidos selvagens.

O Dia dos Namorados é tradicionalmente motivo de estímulo e acréscimo de liquidez para comércio local. Atenta a esta realidade, agora mais do que nunca, a AESintra dinamizou uma das ações que mais alcance tive nos últimos anos: o concurso ”O Melhor Bolo do Amor de Sintra”. Percebemos, pelo alcance virtual e pelas quase 60000 visualizações conseguidas nas nossas redes sociais, que o cliente da pastelaria local e tradicional, o que pretende, é a qualidade em detrimento da massificação. A dinâmica desta iniciativa provocou uma onda de partilha e entusiasmo entre as pastelarias candidatas ao concurso que, seguramente, nas grandes superfícies comerciais seria difícil de alcançar.

Apesar do 1º lugar ter sido merecidamente entregue à Pastelaria Trigo D’Aldeia do Cacém (ver página ao lado), para o comércio local de Sintra quem ganhou foi o próprio. Esta iniciativa foi intensamente cooperativa, na medida em que pequenas pastelarias a concurso puderam dar-se a conhecer através do impulso dado pela participação das grandes marcas de Sintra que também concorreram. Foi mais do que concorrer, foi um boost à qualidade do que se faz no comércio local, à proximidade com o cliente e à fidelidade ao que é local.
Um bem-haja a todos os que participaram nesta dinâmica fantástica!

Sónia Firmino

Diretora Jornal Economia Local (JEL)

  • 1

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *