Economia Local

Cuidados quiropráticos dão saúde

JEL
Partilhar

Associado da AESintra, a Viver Quiroprática é uma clínica em Cascais dedicada à saúde e bem-estar da comunidade. A Quiroprática não é um complemento nem uma alternativa à medicina, é uma ciência, uma arte e uma filosofia de saúde distinta e separada. Falámos com Theo Koenen, quiroprático apaixonado por Portugal. O que é a quiroprática e quais as principais benefícios? É uma profissão da área da saúde focada no poder do corpo em autorregular-se e em autorregenerar-se. Para a Quiroprática, o sistema nervoso controla e coordena todas as funções do corpo e qualquer interferência pode diminuir aquela autorregulação e autoregeneração. O sistema nervoso é frágil, precisa de ser protegido e essa proteção vem dos ossos, mais especificamente do crânio e da coluna. A coluna oferece proteção, estrutura e uma vasta possibilidade de movimentos e a pressão dos seus nervos espinhais, provocam uma diminuição nos sinais do cérebro para o corpo e vice-versa. Esta pressão pode ser sentida, mas na maioria dos casos não é. A Quiroprática pode ajudar a melhorar o estado de saúde, procurando na coluna áreas que estejam sob pressão (subluxações), aliviando-a no sistema nervoso. É uma técnica, uma arte, uma medicina alternativa…. Qual o termo correto? Eu diria que é uma profissão, existem várias formas de quiroprática, várias técnicas, e a forma como cada individuo aplica essa técnica é uma arte. Como não usamos nenhuma forma de medicação eu não chamaria de medicina alternativa. Qual o perfil de cliente das clínicas? Não temos propriamente um perfil de cliente, a quiroprática é para todos, desde o cliente que se quer ver livre da dor de costas, ao cliente que quer ter melhor performance desportiva ou profissional. Em que altura a quiroprática é mais aconselhável e benéfica? A quiroprática é benéfica em todas as fases da vida; desde o nascimento. Ajuda a eliminar interferências no sistema nervoso em desenvolvimento, evitando problemas futuros. As crianças estão constantemente a cair e passam cada vez mais tempo agarradas aos seus telefones e outras tecnologias. Os adultos, tenham eles um trabalho fisicamente exigente ou fiquem sentados ao computador o dia inteiro, beneficiam em manter a sua estrutura em equilíbrio e com maior flexibilidade. Qual é o percurso formativo de um “técnico” de Quiroprática? A educação em Quiroprática é muito parecida com a de um médico tradicional. Uma licenciatura de quatro anos, em ciências básicas, depois o curso de Quiroprática de cinco anos. A nossa formação só difere da de um médico porque passamos mais tempo a aprender as técnicas e em radiologia. Na área dos workshops que desenvolvem para empresas, quais os programas que desenvolvem e como chegam até ao mundo empresarial? Junto das empresas desenvolvemos maioritariamente as palestras, pois a nossa missão é mais vocacionada para a educação e para a informação dos indivíduos. Temos parcerias com algumas empresas que já reconheceram o forte impacto que o absentismo tem na produtividade dos seus colaboradores. Muitas vezes são os nossos clientes que falam dos nossos consultórios junto das empresas onde trabalham, por reconhecerem que através da Quiroprática conseguiram melhorar o seu bem-estar e qualidade de vida e, consequentemente, tornarem-se mais produtivos. O tecido empresarial está atento à prática? Há algum padrão nas empresas que vos procuram para desenvolvimento de programas de Quiroprática? As empresas que nos contactam, maioritariamente, são as que estão focadas no bem-estar e na produtividade dos seus colaboradores. Felizmente é algo que acontece cada vez mais. Prevê o alargamento de clínicas, talvez alguma em Sintra? Obviamente que a nossa ambição é expandir o nosso negócio e ajudar o maior de número de pessoas através da Quiroprática. Para já não prevemos abrir outra clinica, mas o mercado está sempre em movimento e nunca sabemos o que nos está reservado. Quais as vantagens que teve em conta quando decidiu tornar-se associado da AESintra? Fundamentalmente, a principal vantagem é a possibilidade de divulgar a Quiroprática ao maior número de pessoas possível. A nossa missão é educar e ajudar o maior número de pessoas a viver as suas vidas da melhor forma e o mais natural possível, através de cuidados quiropráticos. Foi a Quiroprática que o trouxe a Portugal? Sim, vim em trabalho para substituir um colega que precisou de se ausentar por umas semanas e apaixonei-me por Portugal, pela cultura, pela história, pelas pessoas e, claro, pela comida! Voltei aos Estados Unidos para vender tudo o que tinha e regressei com duas malas e um grande desejo de servir a população que na altura era (e ainda é) muito pouco assistida ao nível de cuidados quiropráticos.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *