Economia Local Associados

AFFSPORTS – Pioneiros no comércio e indústria do desporto

Sónia Firmino
Partilhar

A Artur Florêncio & Filhos, AFFSPORTS LDA, fundada em 1981 com um capital social de 500.000,00€, é uma empresa 100% portuguesa instalada em Sintra e com cerca de trêsdezenas de colaboradores. É uma das mais antigas e mais sólidas empresas no seu ramo a operar em Portugal e tem como core business o fabrico, instalação, exportação e manutenção de equipamentos para desporto e instalações desportivas. Falámos com Artur Florêncio, sócio gerente da empresa.

A 1ª pergunta a Artur Florêncio é fácil de adivinhar, afinal, como é que tudo começou? Foi numa loja em Campolide, no ano de 1981. O primeiro capital e o espaço físico da empresa foram dados pelo pai. Nos anos oitenta começaram a aparecer as marcas desportivas e a AFFSPORTS já estava a tornar-se especialista em tudo o que era material técnico, de atletismo e de outras modalidades. Oito anos passaram e o sócio, também gerente e irmão José Florêncio, assim como o primeiro colaborador, Carlos Alberto, juntaram-se ao projeto. Começaram a participar em feiras internacionais e o salto para a importação e distribuição de materiais técnicos foi rápido, tanto que, por volta de 88/89, já a empresa estava direcionada, maioritariamente, para o comércio grossista e de revenda: “o grosso do negócio inverteu-se e comecei a trabalhar mais com clubes, escolas, autarquias, etc”. Porque o espaço físico da loja era reduzido e como existiam outras instalações dispersas noutros locais do distrito de Lisboa, a AFFSPORTS mudou-se para Sintra, onde foi possível centralizar todos os serviços e aumentar o número de colaboradores.

Foi no concelho que o negócio se estabeleceu e consolidou, estando hoje distribuído por três pavilhões industriais. Segundo Artur Florêncio, “ao longo destes anos, já apetrechámos várias centenas de diferentes tipos de recintos desportivos (indoor e outdoor), milhares de metros quadrados de pavimentos (madeiras, modulares, sintéticos, resinas, borracha, relvados, sintéticos, EPDM, etc…”, continuou, “não fazemos quase nada que não seja técnico e da nossa área de atuação, divergimos da construção civil,
por não queremos ir por aí. Trabalhamos com arquitetos, engenheiros e vários decisores, que aos poucos, conseguem ir mudando a filosofia de projetos de arquitetura e construção civil desportiva, com a partilha do nosso know how.

Em Portugal a AFFSPORTS é líder de mercado com uma diferença acentuada da “concorrência”. A empresa raramente subcontrata porque faz praticamente tudo com maquinaria própria e especifica para o efeito e também com pessoal próprio e especializado: “há muitas empresas que só apostam na venda e na comercialização e depois subcontratam mão-de-obra e maquinaria não específica/não adequada, mas nós não, pois temos serviços integrados e adequados aos fins a que se destinam”. Autarquias, juntas de freguesia,
escolas, clubes, federações e associações são os principais clientes da AFFSPORTS, apesar de, segundo Artur Florêncio, Sintra ser uma das poucas autarquias com quem rara, ou pontualmente trabalham. Perguntámos se é difícil trabalhar no e com o município: “creio que são opções, decisões de compra diferentes mas legítimas, apesar de termos sido nós os propulsores no aparecimento de outras empresas no concelho. Sintra foi para nós um mercado adverso, e é difícil às empresas e aos empresários associarem-se entre si, creio que há muita sofreguidão e até algum egoísmo, não se olhando a meios para atingir fins e essa não é a nossa forma de estar”.

“Somos praticamente autossuficientes, temos uma autonomia financeira superior a 90%, pelo que não precisamos da banca para trabalhar e isso dá-nos total liberdade de escolha quer dos nossos clientes, quer dos projetos em que nos envolvemos; só trabalhamos com quem queremos trabalhar. Nunca descapitalizei a empresa, sou um mero funcionário e os nossos colaboradores são como família”. Segundo a Dun&Brad Street/ Informa D&B, “estamos a anos de luz dos nossos poucos ‘concorrentes’ mais diretos, em termos de crédito mensal atribuído às empresas do setor. Não vendemos gato por lebre, coisa que infelizmente ainda acontece, principalmente, na venda e instalação de pavimentos e relvados artificiais”.

Um dos maiores projetos da AFFSPORTS desenrolou-se em Angola, no AfroBasket. Lá a empresa concluiu dois pavilhões desportivos antes do prazo previsto, tendo sido a única
a conseguir a proeza, que mereceu comentário positivo do Governo Angolano, dono da obra. Naquele país e ao longo de mais de dez anos, a AFFSPORTS esteve envolvida em
15 recintos desportivos diferentes, tendo vendido e instalado um dos maiores relvados artificiais existentes em Angola (Centro de Estágios do Catetão em Luanda). Há 40 anos
Artur Florêncio esperava “estar mais à frente, sem praticamente quase nenhuma empresa concorrente a operar em Portugal”, aliás, desenvolveu um projeto nesse sentido que acabou por “congelar” por achar que “a AFFSPORTS já cresceu o suficiente para o nosso mercado”. Acrescentou, “se eu quisesse crescer mais tenho a perfeita consciência que o poderia fazer com relativa facilidade, mas estou numa fase de vida que não já não quero…se tivesse menos 10 anos e mais força de vontade, poderíamos trabalhar muito mais, aliás, em alturas de grande fluxo de trabalho entristece-me muito recusarmos inúmeros pedidos de clientes, mas a verdade é que não temos forma de responder a todos os pedidos e conclui-los da forma quegostamos; bem, e nos prazos acordados”.

A AFFSPORTS é parceira da Federação Portuguesa de Futebol, da Federação Portuguesa de Voleibol, e de outras Federações e Associações Desportivas, há mais de 25 anos, sendo fornecedora entre produtos e serviços, das famosas bolas de alta competição MIKASA (marca de distribuição exclusiva em Portugal e PALOPS): “Algum motivo deve existir para confiarem permanentemente em nós ao longo de tantos anos, ainda para mais entidades que vão mudando de dirigentes ao longo do tempo ”. Também com o Sporting Clube de Portugal a relação é duradoura; há mais de 20 anos: ”fomos nós que fizemos a parte técnica desportiva do mais recente e moderno Pavilhão Desportivo em Portugal, Pavilhão João Rocha, com um dos melhores pavimentos de madeira existentes na península ibérica, e com as mais modernas tabelas de hóquei em patins electro-hidráulicas. Orgulhoso, Artur Florêncio adiantou que no Sporting, ainda na era da anterior direção do Clube, aquando de uma reunião conjunta com o construtor, foi dito que a parte técnica desportiva mais complicada do projeto, deveria de ser assumida pelos “Florêncios”, não havendo assim grande espaço para outras empresas do setor.

Quanto ao projeto que Artur Florêncio ainda tem na gaveta, pronto a ser implantado, “talvez os meus filhos, ou os do meu irmão ou até alguma empresa multinacional da área,
o possa agarrar e desenvolver no futuro próximo, porque a curto/médio prazo, pretendo apenas consolida ainda mais a AFFSPORTS, melhorando de diversas formas todos os recursos existentes e também aumentar o número de colaboradores. Quase 40 anos de AFFSPORTS, grande parte deles passados a partir de Sintra, faz-nos acreditar que a força do tecido empresarial está definitivamente nas empresas familiares, na maturidade, humildade, bondade, e honestidade dos seus empresários.
Parabéns AFFSPORTS.

JEL30 setembro/outubro

Sónia Firmino
Sónia Firmino

Diretora Jornal Economia Local (JEL)

  • 1

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *