AESintra Economia Local Serviços

Rede de Entregas de Sintra

Partilhar

A restauração e similares é um dos setores com maior quebra de receitas, mas também um dos setores que melhor soube adaptar-se à nova realidade, procurando alternativas para chegar aos seus clientes. Se o take away é uma alternativa viável, já a entrega (delivery) é um esforço financeiro e humano que poucos conseguiram assegurar. Apesar de o reflexo ter sido mais sentido no setor da restauração, existem outros setores de atividade que tentaram dinamizar
um sistema de entregas próprio, nomeadamente, mercearias, frutarias, lojas de comida para animais, entre outros. Porém, pelas mesmas razões em cima apresentadas, o esforço financeiro e os recursos humanos inexistentes para assegurar o sistema de delivery, impediram que aqueles agentes económicos locais conseguissem fazer chegar os seus produtos aos clientes que em casa permaneceram e ainda permanecem.

As atividades económicas começaram a “abrir portas”, os hábitos de consumo da população mudaram, a insegurança que muitos ainda sentem na deslocação aos espaços comerciais e a preferência pela compra não presencial, comodamente a partir de casa ou emprego: esta é a nova realidade do comércio local. Foi com
este novo cenário que a AESintra criou a Rede de Entregas de Sintra que agrega uma lista informal de cinco operadores de transporte, disponíveis para entregar ao domicílio bens e produtos, pelo valor e condições combinadas entre os próprios. Na prática, todos os que prefiram fazer as compras por outra via que não a presencial, têm à disposição o contacto de uma lista de operadores certificados e formados pela AESintra que podem levar a compra até ao domicílio ou outro local indicado. Aos agentes de comércio local que não tenham forma de articular com os recursos que tem disponíveis a entrega das encomendas dos seus clientes; o mesmo se aplica. Todas as condições de pagamento e a forma como a dinâmica vai ser operacionalizada são matéria de acordo entre as partes; a AESintra apenas faz a “ponte” entre quem pretende entregar e quem está disponível para o fazer.

JEL28 maio/junho 2020

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *