Associados Atividades

Espaço Lazuli- Artes, ofícios, conservação e restauro

Sintra continua a surpreender com a abertura de espaços de inspiração e sensibilização para modos de vida sustentáveis. Comprar local, reutilizar, restaurar ou transformar ou fazer com a próprias mãos, são verbos de ação que norteiam o Estúdio Lazúli, gerido por duas mulheres, que ajudam a” desenvolver competências artesanais, a alargar horizontes ou simplesmente divertir-se num mundo mágico de materiais e ferramentas”. 

 Há mais de trinta anos que a conservação e o restauro começaram a fazer escola em Sintra. Emília Almeida, uma das duas criadoras do Estúdio Lazúli, foi uma das suas primeiras alunas da Escola Profissional de Recuperação do Património de Sintra, instituição destinada a formar técnicos de nível intermédio, única no país neste nível de ensino, de onde já saíram muitos técnicos, hoje a trabalhar pelo país inteiro.

O JEL foi visitar o Estúdio Lazúli, este que é um dos mais recentes associados AESintra que inaugurou a rubrica online de boas vindas aos novos sócios (ver coluna). Aldina Rodrigues, a outra criadora, tem um passado profissional que decidiu abandonar para se dedicar ao restauro de antiguidades e de velharias. Passado esse ligado à gestão dos serviços linguísticos, tecnologias e gestão de conteúdos.

Emília e Aldina são amigas de longa data, agora também empresárias, e há muito partilham interesses na área. A Emília desenvolve trabalhos de conservação e restauro nos palácios e palacetes de todo ao país, também em Sintra, onde tem estado mais focada nos últimos anos, porém, confessou-nos: “o meu trabalho é muito físico e a idade já me vai pesando para andar em cima de andaimes e como a minha área é a pedra, dadas as circunstâncias referidas, tornou-se fundamental para mim arranjar um espaço onde pudesse não só fazer o meu trabalho como também transmitir conhecimento, porque um dos grandes objetivos do Estúdio Lazúli não deixar que estes saberes e técnicas antigos se percam”.

A Aldina passou parte do seu percurso profissional numa multinacional alemã de Sintra até que sentiu necessidade de explorar “a parte estética da minha vida, da criatividade” o que a fez frequentar um curso de design de interiores.

O Estúdio Lazúli é um espaço de ateliês onde se promovem workshops de artes e ofícios, serviços de conservação e restauro e se exibe uma seleção de curiosidades de várias épocas, do presente e do passado. Segundo, Emília Almeida “aliamos neste espaço todos os nossos interesses – as antiguidades, o restauro, tanto de madeira como de cerâmica e um conjunto de ateliês”. “Sentimos que as pessoas querem voltar às bases, ao normal, ainda mais agora com o teletrabalho. O tempo que estão aqui conseguem abstrair-se das tecnologias e aqui podem massajar o espírito; somos uma fonte de bem-estar”.

No Estúdio há uma calendarização muito diversificada de workshops abertos ao público (ver site). Deixamos aqui alguns exemplos: marcenaria, restauro e reciclagem de móveis, cerâmicas criativas, vidrados, azulejaria, macramé, douramento, etc. A dupla vai ainda mais longe ao dinamizar um workshop de pintura de azulejo totalmente em Inglês, destinado a turistas, e que consiste em pintar réplicas dos monumentos que habitualmente visitam. Para além do espaço de transmissão de conhecimento com a dinamização dos vários workshops, o Estúdio Lazúli é também um espaço de conservação e restauro de arte em pedra, cerâmica, metal ou madeira e também integra uma loja, cheia de curiosidades, antiguidades, materiais, peças de autor e outros artigos que podem ser, parte deles, visualizados através do site e comprados.

O contacto inicial com a AESintra deveu-se, inicialmente, à necessidade de orientação legal e laboral, uma vez que foi constituída uma empresa, mas tanto Emília como a Aldina pretendem divulgar aos empresário de Sintra o trabalho que ambas fazem e que pode ser benéfico para a própria dinâmica do tecido empresarial do concelho, nomeadamente, para alguns gabinetes de arquitetura, empresas ligadas à construção civil e para os cidadão particular que tem de ser sensibilizado para a conservação e restauro.

A importância e destaque que aqui damos ao Espaço Lazúli, não se prende só com o facto de serem os primeiros a quem virtualmente passamos a dar as boas-vindas, celebrando assim a confiança que todos os dias novos sócios depositam na AESintra. A isso acrescentamos a forma de estar do Estúdio Lazúli, adiantada por Aldina Rodrigues: “acreditamos que comprar usado, antigo ou local, restaurar ou transformar, fazermos nós próprios e ensinar a fazer é o caminho que faz sentido trilhar neste momento”.

A AESintra também pensa o mesmo.

PROGRAMA OUTUBRO 2022

Deixe um comentário